O encantador sertão alagoano (Parte III): Piranhas, a cidade!

Finalizo a série Piranhas com o tema que deveria ter sido postado no logo no início destas postagens: a própria cidade! Na empolgação em descrever os passeios da região, Piranhas acabou ficando por último, mas nem por isso não deve ser valorizada! Como dito anteriormente, este pequeno município do sertão alagoano é banhado pelo Rio São Francisco e reconhecido como patrimônio histórico nacional pelo IPHAN.

ImagemA entrada da cidade baixa onde se encontra o centro histórico de Piranhas.

Piranhas: A cidade por si só já se torna um convite. Seu conjunto arquitetônico é um dos mais conservados do país e se torna encantador com os coloridos das casas. O ambiente nos faz sentir como se estivéssemos numa maquete! Tudo muito lindo e organizado! Imagem

Imagem do blog Matraqueando.

Mirantes: Assim que chegamos à cidade fomos ao Hotel Pedra do Sino, onde nos hospedamos e já recomendei em meu primeiro post.  Os proprietários do hotel são também do Restaurante Flor de Cactus, muito conhecido na região por estar presente ao lado do Mirante Secular, onde há uma pirâmide quadrangular que foi ali colocada para marcar a transição do século 19 ao século 20. Para chegar ao mirante, pode ir de carro ou tem a opção de subir uma escadaria com 364 degraus!!! Ficamos com a primeira opção! Rsrsrsrs… Do lado oposto, há outro mirante onde se encontra uma igreja. Este só de escada mesmo! Acabamos só apreciando a vista! 🙂Imagem

Imagem do blog Matraqueando

Vida Noturna: O centrinho histórico da cidade é maravilhoso! Com seus barzinhos tocando música ao vivo (já fiz menção no primeiro post sobre Piranhas) faz com que as pessoas se sintam recebidas com carinho. O melhor barzinho que fomos foi a Cachaçaria Altemar Dutra. Leva este nome em homenagem ao seresteiro que possuía uma casa do outro lado da margem do Rio São Francisco, mas que frequentemente ia para Piranhas para cantar e tocar. Imagem

Prainha: Lá na beira do rio há um local próprio para o banho. O município oferece uma estrutura de bares e restaurantes que servem de apoio para quem está disposto a se banhar na prainha. Muito organizada, por sinal! Acima dos bares e restaurantes há um local onde existe uma estátua em homenagem ao Altemar Dutra, mencionado acima.

Imagem

Estação Ferroviária / Museu do Sertão: Na antiga estação ferroviária da cidade ainda tem uma locomotiva que virou atração turística da cidade. Ela fica próxima ao local que se encontra a estátua do Altemar Dutra. No prédio da Estação Ferroviária funciona hoje o Museu do Sertão. Lá estão expostas as armas, vestimentas e objetos pessoais dos integrantes do Cangaço e da Volante. Há várias fotografias da época, inclusive a famosa foto das cabeças de Lampião e seu bando expostas como troféus na escadaria da prefeitura de Piranhas. A entrada ao museu quando fomos era bem baratinha: apenas R$ 2,00.

Imagem Imagem

Um dado curioso é que antes das fotografias ninguém sabia quem era Virgulino Ferreira da Silva – o Lampião, mas com a vinda do fotógrafo  sírio-libanês-brasileiro Benjamin Abrahão Botto (fonte: Wikipédia) a vaidade acabou por “desmascará-lo” para a polícia e coronéis da época.

Torre do Relógio: Fica em frente ao Museu do Sertão e existe desde 1897, onde abriga um relógio inglês. Na época que fomos, dentro da Torre em seu alto existia o Café Torre, onde só podiam subir no máximo 15 pessoas! Falaram-nos que não mais funcionaria por razões políticas da cidade (mudança de governo), mas espero que ainda esteja funcionando. Vale a visita e a foto! 😉

Imagem

Prefeitura: Funciona no Palácio Dom Pedro II e foi nele que as cabeças de Lampião foram expostas ao público. Houve reformas até os dias de hoje e a escadaria foi modificada para os lados.

Imagem

Foto antiga retirada do acervo da globo.com

Enfim… Por aqui encerro os posts relacionados a cidade de Piranhas, no sertão alagoano. Charmosa e acolhedora, a cidade ultimamente tem sido destino certo de várias pessoas. Fica a dica!

Beijinhos.

Lila.

Anúncios

O encantador sertão alagoano (Parte II): Piranhas e Os Cânions do Rio São Francisco

Eis a parte mais esperada da postagem sobre o sertão alagoano!

O passeio pelos Cânions do São Francisco é sem sombra de dúvidas o ponto alto do passeio de quem visita Piranhas – AL.

Ao contrário do passeio da Rota do Cangaço, onde saímos de Alagoas para fazermos a trilha em Sergipe, nos Cânions o catamarã sai de Sergipe, no município de Canindé do São Francisco (onde se encontra a Hidrelétrica de Xingó), e os Cânions encontram-se no Estado de Alagoas, mais precisamente entre os municípios de Olho D’água do Casado e Delmiro Gouveia.

Na estação de embarque e desembarque, tudo funciona muito bem, inclusive o apoio à alimentação.

Imagem

A bordo de um catamarã, o cenário é deslumbrante e o visual encanta! Ao longo do passeio, não há como deixar de notar que existem diversas imagens de São Francisco incrustadas nas rochas.

Imagem

A parada para o banho nos cânions é a melhor parte do passeio. A água é límpida e bem geladinha! Parece uma piscina natural. Maravilhoso!! O banho nas águas do rio, com alternativas de segurança até para os que não sabem nadar, é outra atração que dá muita alegria a quem se dispõe a esse passeio. Eles fizeram uma “piscina” protegida por redes para que peixes, galhos e sabe se lá o que não pudessem entrar nesta parte. O Rio São Francisco tem a profundidade de 45 metros neste local, mas com a armação da piscina ficou com 10 metros! Dá pra perceber que o Catamarã estava lotado!!! Rsrsrsrsrs… 250 pessoas!

Imagem

Devido à beleza singular, os cânions do São Francisco foram cenário de locação da novela da Rede Globo, ‘Cordel Encantado’, exibida em 2011. Inclusive, em homenagem a mesma, o porto flutuante que serve de parada e banho no Rio São Francisco levou o nome de Brogodó, fazendo uma alusão ao nome da cidade fictícia da novela.

Imagem

Mais algumas imagens dos Cânions:

Imagem

Trata-se de um passeio especial e imperdível! Passear de catamarã pelas águas do São Francisco é uma experiência inesquecível! Vale fazer os dois passeios (Rota do Cangaço e Cânions do São Francisco). Não deixem de fazer, os locais oferecem lindas vistas que merecem ser perpetuadas em fotos.

No último post falarei um pouco sobre a cidade de Piranhas. Lugar encantador!

Beijinhos!

Lila.

O encantador sertão alagoano (Parte I): Piranhas e a A Rota do Cangaço

Não há dúvidas que uma das postagens mais esperadas para fazer aqui no blog seria o início da série ALAGOAS. Alagoana, jamais poderia deixar de enaltecer as belezas naturais do meu Estado, que não são poucas!

Do litoral ao sertão, várias são as paisagens encantadoras que dispomos! Começarei com um destino que sempre quis fazer, mas não sei por quais razões não visitei antes. Somente fiz no ano passado (2012), exatamente no final de semana do aniversário do meu marido. Ele também não conhecia e aproveitei a ocasião para dá-lo de presente (e, consequentemente, ganhar também!!! Rsrsrsrsrs…) esta viagem tão sonhada.

Nosso destino foi para a cidade de Piranhas, no sertão alagoano, que fica a 290 km da Capital Maceió. Piranhas ficou nacionalmente conhecida por ser a cidade onde a cabeça de Lampião, e outros do seu bando, ficaram expostos após decapitação. Banhada pelo Rio São Francisco, foi reconhecida como patrimônio histórico nacional pelo IPHAN.

Imagem

Fomos em uma sexta-feira e voltamos no domingo. Seria melhor mais um dia, pois deixamos de visitar a cidade de Delmiro Gouveia, onde há também atrativos turísticos, a exemplo de atividades como o Rapel nos Cânions do São Francisco.

Assim que chegamos fizemos nosso check-in no Hotel Pedra do Sino. Muito confortável e com uma vista espetacular da parte antiga da cidade e do Rio São Francisco. Recomendadíssimo!

Depois, decidimos fazer a Rota do Cangaço. Ficamos impressionados já com tamanha beleza natural! Vale ressaltar que o Rio São Francisco separa os Estados de Alagoas e Sergipe. Para fazer o passeio da Rota, saímos do município de Piranhas, mas vamos ao de Poço Redondo, no Estado de Sergipe.

Imagem

Ao chegarmos ao nosso destino, nos deparamos com uma prainha no Rio onde os visitantes podem tomar banho, saltar de tirolesa… A água é muuuuito gelada, mas deliciosa!!

Deixamos esta parte pra depois e já começamos a trilha para fazermos a Rota do Cangaço! Lampião e seu bando quando passaram por ela a mata era fechada e esta foi aberta pela Volante. Há muita caatinga, pedras… O acesso era e continua sendo bem difícil! Muuuito calor!!! Muuito sol!!! A Palma, o Mandacaru e a Caatinga sempre presentes, pois é a vegetação típica da região.

Imagem

Antes de chegarmos na Grota de Angicos, onde Lampião e seu bando foram mortos em 28 de Julho de 1938, subimos parte da mata até chegar em seu ponto mais alto, chamado de Alto das Perdidas. Continuamos o trajeto descendo pela mata e, finalmente, chegamos a Grota de Angicos.

Lá pudemos constatar que as marcas dos tiros realizados pela Volante ainda se encontram nas pedras ali presentes. Acredita-se que os corpos decapitados foram levados com o Rio. Até hoje não se tem notícias se alguém encontrou estes corpos, pois neles foram colocados venenos para que os urubus não pudessem comê-los e, assim, ficassem expostos a quem passasse e que servissem de exemplo.

Imagem

Voltando, paramos em uma casa de um dos que andavam no bando de Lampião, que servia de refúgio para o bando.

Imagem

Já era final de tarde quando, após o banho no Rio São Francisco (necessário diante da insolação obtida na caminhada!! Rsrsrsrsr…), tínhamos que voltar para Piranhas. No trajeto, pudemos presenciar um dos mais lindos pôr-do-sol já vistos por nós!!

Imagem

Além dos programas diurnos, a noite a cidade de Piranhas é um charme! A parte histórica da cidade, com seus bares e restaurantes, fica bem agitada e o clima é muito agradável!!! Lá pudemos encerrar nosso primeiro dia com direito a muita música e bebidas deliciosas!!

Imagem

Fica para o próximo post sobre a cidade de Piranhas a parte mais cobiçada da viagem: os Cânions do São Francisco!

Beijinhos!

Lila.

Chile le le le – Parte II (Passeios e Compras)

Continuando as informações sobre a viagem ao Chile, percebemos que é um país que possui atrações para todas as épocas do ano, mas no inverno tem o seu charme!

Além da Cidade de Santiago, capital do Chile, temos no litoral chileno a possibilidade de conhecer as cidades de Valparaíso e Viña del Mar.  No sul, há o passeio dos Lagos Andinos, que fazem divisa com a Argentina. Muitos afirmam lá ser um dos lugares mais lindos do Chile, com vistas dignas de cartão postal! Outro passeio é a Ilha de Páscoa, que está situada a 3 700 km de distância da costa oeste do Chile. Para os aventureiros, tem o Deserto do Atacama, conhecido por ser o deserto mais seco do mundo. Está localizado na região norte do Chile até a fronteira com o Peru. E, claro, faz também parte do roteiro do Chile as estações de Inverno, como as de Farellones, Collorado e Vale Nevado.

Passamos 10 dias no Chile e fomos no inverno. Por conta do clima e também da distância de alguns destes lugares, vários desses passeios não se encontraram no nosso roteiro. Descreverei abaixo quais conhecemos e o que fizemos em nossa estada por lá:

PASSEIOS:

1. SANTIAGO: Numa tarde já dá para conhecer muitos prédios históricos, pois eles ficam próximos. Fomos a Plaza de Armas. Lá está a Catedral de Santiago (liiiiiinda, mesmo em reparos!) e é o coração de Santiago! Tem o prédio do Correio Central; nas proximidades tem o Museo de Arte Precolombiano (vale a pena visitar, pena que não fomos pois no dia que nos programamos encontrava-se fechado L); o Tribunal de Justiça; o Palácio do Governo La Moneda (as fotos ficam lindas, o legal é tentar pegar a troca de guarda, chegamos bem na horinha, perfeito!). Também fomos para uma das quatro casas de Pablo Neruda (La Chascona), bem legal! Tem o Cerro Santa Lúcia também que devem visitar, além das vinícolas! Fomos na Concha Y Toro e adoramos! Lá o visual é lindo, romântico, é um programa imperdível, fora que após o tour tem uma lojinha que dá para você comprar os vinhos mais famosos da vinícola como Casillero del Diablo, Don Melchor e até mesmo o mais famoso Alma Viva!

ImagemImagem

Imagem

2. VALPARAÍSO E VIÑA DEL MAR: Cidades litorâneas do Chile, onde podemos nos deparar com o oceano pacífico, que valem a pena serem visitadas! Valparaíso é uma cidade portuária, a mais antiga do Chile e a mais pobre, por sinal. Mas seu colorido encanta os  visitantes! Lá pode-se andar de funicular e visitar outra casa do Pablo Neruda (La Sebastiana). Coladinha a Val Paraíso tem a cidade de Viña del Mar, que já ostenta o oposto da pobreza de Val Paraíso. Cidade conhecida como um balneário chique do Chile, com restaurantes, casas maravilhosas e cassinos. Em sua entrada encontram-se diversas palmeiras imperiais doadas pelo Governo Brasileiro. Também encontramos na cidade uma famosa de estátua de Moai. Apesar de termos feito este passeio no inverno, o ideal é fazê-lo no verão e passar uns 3 dias por lá.

ImagemImagemImagem

3. FARELLONES E VALE NEVADO: Onde se encontram as estações de ski. Fomos no inverno, mas não pudemos esquiar porque na época que fomos ainda não havia neve suficiente para a prática de ski, mas outros entretenimentos estavam a disposição dos visitantes. Em Farellones, além de uma tirolesa, havia umas bóias gigantes para descer na neve… Muito legal!!! Lá tem um restaurante bem gostosinho, mas sem muitas opções no cardápio. O melhor foi o tamanho da dose da tequila que pedimos, quase um copo americano! Kkkkkkk… Não sei o que tem pra fazer por lá quando não tem neve, mas é muito bonito lá e no Vale Nevado, que está a 3 mil metros de altitude, dá pra ver a Cidade de Santiago.

ImagemImagem

Imagem

Imagem

COMPRAS:

No Centro vale a pena bater perna por lá!! É cheio de megalojas tais como FALABELLA, PARIS, RIPLEY. É legal, apesar da “muvuca” dos vendedores ambulantes! Lembrou-me um pouco a 25 de Março em São Paulo, mas “já que tá no inferno abraça o capeta”!!!

A moeda oficial é o peso chileno, a conversão é fácil só é esquecer os zeros e multiplicar por 4 para ter o valor em reais (Ex. uma blusa custa 20.000 pesos, em reais é o equivalente a 80 reais (20 x 4= 80).

Tem os shoppings também. O Parque Arauco e outro mais distante, Alto Las Condes (É lindo, bem chique, tem uma parte aberta bem legal!). Há uma rua de grifes famosas (não me recordo agora o nome! () e também Outlets (a exemplo do Buenaventura Premium Outlet), que não chegamos a ir… Além do Patio Bella Vista que possui joalherias, artesanato, moda alternativa…

Enfim… Tentei fazer um resumo do que visitamos. A viagem foi maravilhosa e achei o Chile encantador!!! Fiquei triste por não ter podido ir aos Lagos Andinos e ao Deserto do Atacama. Tem também a Ilha de Páscoa. Muita coisa para se fazer por lá! O país não “respira” compras como a Argentina, achei mais gastronômico… Os vinhos são deliciosos… Huuuum… Bateu saudade de lá e com certeza é destino certo para voltar e fazer tudo o que não fizemos quando fomos!

🙂

Lila.

A mulher e sua paixão por sapatos!!!

Imagem

Não há com negar: a relação entre as mulheres e os sapatos é algo muito particular, e comprar sapatos torna-se um ato delicioso para a maioria de nós mulheres! Principalmente quando estamos na fase daquelas três letrinhas problemáticas TPM!!

Quando trabalhava no interior do meu Estado, na cidade de Penedo (farei um post sobre ela também, pois a cidade é Tombada por se tratar de um Patrimônio Histórico de nosso País), havia uma amiga minha bibliotecária e contadora de histórias que escreveu um conto ao meu respeito por observar que praticamente todo o dia eu estava com um par de sapatos diferentes.

Imagem

Transcrevo o conto abaixo, no qual fiquei muito feliz por ser fonte de inspiração J:

A MENINA DOS SAPATOS COLORIDOS

Era menina, menina em flor, sempre menina.

Gostava de sapatos coloridos e cada par que calçava vivia uma aventura.
Quando calçou os sapatos de cor Pink, viajou até Paris e ficou encantada com a Torre Eiffel.

Os sapatos de cor verde levaram-na até o Amazonas. Lá deslizou sobre as vitórias-régias e cantou com o pássaro verde de bico dourado.

Ah! Menina, tão linda menina. Seus sapatos azuis transportaram-na até o céu. Lá ela conheceu os anjos de cabelos enrolados e cacheados, tocando harpas e deslizando sobre as nuvens.

Mas, ela possuía um par de sapatos, que era o seu preferido, pois era todo colorido e quando o calçava ela subia e descia o Arco Iris, encontrava um pote de ouro cheio de guloseimas e era uma delicia!

A menina adorava aventuras e vivia sonhando com seus pares de sapatos coloridos.

Mas, um dia misteriosamente ela perdeu todos os pares de sapatos. A menina chorou, chorou, chorou, procurou por toda a casa. Perguntou ao pai, à mãe, aos irmãos, aos colegas da escola. Mas, ninguém sabia onde estariam seus sapatos coloridos.

Só lhe restou um par surrado de cor roxa, que ela não gostava. Pois, teve de usá-lo quando sua vovó, aquela que lhe contava histórias na hora de dormir, partiu numa viagem e nunca mais voltou.

A menina ficou triste, não sorria, não comia, não brincava, só pensava nos sapatos coloridos e perguntava-se:

– Onde estariam? Por que fora abandonada por eles?

Em uma noite de lua cheia a menina resolveu dar uma volta no jardim de sua casa. Que surpresa, ao olhar para o céu! Ela viu todos os seus pares de sapatos dançando uma ciranda ao redor da lua e eles cantavam:

Menina, não chore.
Menina, não fique triste.
Menina, nunca deixe sorrir.
Menina, se você acreditar
em seus sonhos,
nós voltaremos para você.

A menina começou a sorrir e, um a um, seus pares de sapatos coloridos foram descendo da lua até ela.

A menina ficou muito feliz e continua vivendo suas aventuras.

Pé de pinto, pé de pato, quem gostar de sapatos que conte quatro.

(Para minha amiga Lila Pompe, que me inspirou este conto com seus pares de sapatos coloridos)

Postado em 20/07/2011 13:55 (http://aquiacontece.com.br/artigos/index/id/6)

Por Izabel Fernandes

Bibliotecária Especialista e Contadora de Histórias

Imagem

Lila.

Chile le le le – Parte I (Roteiro Gastronômico)

Para iniciar o blog, nada melhor que um post em relação a viagem. Escolhi este país encantador que é o Chile. Lá eu e meu marido passamos nossa lua-de-mel (2011), e ficamos surpresos como o país oferece lugares maravilhosos para visitar em todas as épocas do ano. Fomos no inverno e mostrarei as impressões que tive deste querido país. Preferi dividir o post do Chile em categorias, para melhor ilustrar o que vivenciamos por lá.

Pra começar, bom dizer que o Chile não é barato como a Argentina. Na época em que fomos, convertendo a moeda (Peso Chileno) fica mais ou menos igual ao Brasil. Mas como quem “converte, não se diverte”, nada de ficar contabilizando tudo na viagem! Rsrsrsrs…

Eu e Fabiano (meu marido) adoramos todas as cidades que visitamos no Chile! Sentimos que os Chilenos adoram os brasileiros, principalmente porque se identificam conosco na rivalidade contra a Argentina!

No Chile come-se muitíssimo bem!!! A culinária é baseada em muitos frutos-do-mar. Tem muita influência da culinária peruana. Há um peixe lá chamado Congrio que vale a pena conhecer! Eles também gostam muito de carne de cordeiro.

Pra começar o roteiro, vou elencar alguns restaurantes que fomos.

1. BKS (Patio Bella Vista): Havíamos chegado a pouco tempo e não sabíamos onde comer. Fomos neste restaurante no Patio Bella Vista. Este Patio é um complexo de vários bares e restaurantes e é muito legal!!! Comemos uma massa com camarão muito gostosa lá! Vocês devem ir no Patio Bella Vista, lá há uma diversidade de restaurantes e lojinhas. Não sabe onde comer no Chile? Patio Bella Vista é a solução!

Imagem

2. El Galeón (Mercado Central): Lá comemos uma entrada de mariscos deliciosa e também a famosa Centolla!!! Não é muito barato… Uma Centolla, que pelo tamanho comeriam 4 pessoas custou, convertendo, o valor de 250 reais. Só a Centolla! Rsrsrsrsrs… Mas ir ao Chile e não comer a Centolla é como ir ao Rio e não ver o Cristo! :P. O mercado não se parece em nada na limpeza com o de Sampa, e também é bem menor, mas é um local pra se conhecer! Há um restaurante famoso dentro dele também, porém há vários comentários que o mesmo não é tão bom quanto o El Galeón,  onde a entrada fica por fora.

Imagem

3. Aquí está COCO (La Conception, 236, Providencia): Este não é voltado pro turista, mas foi aqui que conheci o famoso peixe Congrio! Foi um dos melhores restaurantes que fomos!!! Demais!!! Precisa de reserva. Ambiente lindo, chique, mas não impessoal. Devem ir!!!

Imagem

4. Astrid y Gaston (Antonio Bellet, 201, Providencia): Comi um salmão maravilhoso! Também não é um restaurante tão voltado para o turista, mas vale a pena ir, pois é muito gostoso! Os garçons foram muito atenciosos e nos deram vários mimos de sobremesa! A louça é um charme!

Imagem

5. Como Água para Chocolate (Constitucion, 88, Bellavista): Tentamos jantar lá e não tinha mais reserva… Disputadíssimo!!! Mas aí fomos almoçar em outro dia e arrisquei o Congrio de novo. Não me arrependi!! Este e Aquí está Coco foram os melhores restaurantes que fomos!! A ambientação do Como Água para Chocolate é linda, tem até uma cama que serve de mesa!!!

Imagem

6. Epicúreo (Constitucion, Bellavista): Este fomos porque na noite que íamos ao Como Água não havia vaga… Foi o que menos gostamos, mas em compensação tomei um drink lá com uma erva chamada Albahaca que me deixou muito animada! Kkkkkkk… Bem legal! E é gostoso, parece um pouco com hortelã! Comi salmão, que estava muito bom também!

Imagem

7. Montana Steak House (Patio Bella Vista): Após tantos peixes e crustáceos em nosso cardápio, teve uma hora que sentimos falta de carne. Fica no Pátio Bella Vista, comemos uma deliciosa carne lá.

Imagem

8. Giratorio (Providencia): Este é o famoso restaurante que o salão fica girando enquanto comemos… Calma!!! É devagar!!! Rsrsrsrsrs… Achamos gostoso, comemos camarões equatorianos. Você vê Santiago por cima, sempre com vista para as Cordilheiras dos Andes! Vale a pena ir! Fomos no almoço para apreciar a vista, pois como era inverno, a noite seria bem provável que houvesse muita neblina.

Imagem

9. Delícias del Mar (Viña Del Mar): Em Viña del Mar fomos em um restaurante indicado pela excursão. Lá fizemos amizade com o garçom e levamos umas 3 garrafas de vinho (estávamos com outro casal e havia muuuitos brasileiros). Foi uma festa!!! Kkkkkkkkkkkkkk… Todos saíram  beeeem animados, foi bem engraçado!!! Lá comemos muitíssimo bem!

Imagem

Além destes restaurantes, fomos a cafés deliciosos… Finalizo afirmando que no Chile uma de suas grandes atrações é a culinária! Não dá como pensar no Chile e não ficar com água na boca! Delícia!

Também não posso deixar de registrar que os pratos devem vir acompanhados dos deliciosos vinhos chilenos ou de uma bebida típica da região, o chamado Pisco Sour, que é delicioso!!! Confesso que gostei muito mais do Pisco Sour Chileno que do Peruano!

Espero que as minhas dicas gastronômicas possam servir como base para quem deseja visitar o Chile.

¡Buen apetito!

Lila.