INSPIRAÇÃO – VESTIDO DA NOIVA LILA

Quando escrevi o último post sobre o meu aniversário de casamento me deu uma nostalgia tão grande que resolvi falar um pouquinho sobre as minhas escolhas de vestido e decoração para o meu dia de princesa!

Começando pelo vestido, nunca me vi como uma noiva totalmente tradicional. Apesar de achar lindo, nas outras, o tradicional vestido de princesa rodado nunca me apeteceu. Quando idealizei o meu vestido pensei em algo sexy, sem ser vulgar, mas que ao mesmo tempo refletisse a minha personalidade! Definitivamente o estilo “romântico” não combinaria comigo, com rendas e minimalismos… (não que eu não seja romântica! Kkkk…).

O meu querido estilista AUDIFAX SEABRA conseguiu traduzir o que eu queria! Optei por um busto clássico (tomara-que-caia), mas no estilo “sereia”! Mais feliz, impossível!

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

ImagemImagem

Como já havia muita informação na saia do vestido, optei por um cabelo mais clássico, somente um coque mais elaborado. A maquiagem também ficou leve, mas com os olhos marcados, como gosto! Meu maquiador fofo ABRAÃO DOWSLEY foi muito feliz ao optar uma boca “nude”, que nas fotos ficam atemporais! Na época estava muito em moda usar rosa, vermelho… Acho muito lindo, até pensei num rosa, mas ele me convenceu e o resultado foi do jeito que eu queria! Apesar de também achar vermelho lindoooo, o tom poderia não cair muito bem, pois meu vestido já era bem marcado no corpo.

Imagem

Imagem

Imagem

Nas unhas, optei pelas francesinhas clássicas, sem detalhes. Nunca gostei de figurinhas e desenhos em unhas… Neste caso o menos realmente é mais! Elegância é a palavra de ordem! Rsrsrsrs… Gosto das francesinhas mais largas, e decidi usar unhas de porcelana porque uma unha resolveu quebrar justamente na semana do meu casamento! 😦 Fiquei preocupada com o resultado “fake”, mas elas ficaram bem naturais!!

Imagem

Imagem

Imagem

Para o buquê, escolhi orquídeas brancas! Amo orquídeas e elas demonstram sutileza e sofisticação! Atualmente há uma moda de “buquês eternos”, que não tem flores de verdade. Gostos à parte, acho que este tipo de buquê combinam para noivas muito modernas. Flores são flores, né? Não gosto de decorar a minha casa com flores artificiais, então a dica vale também para o buquê!

Imagem

 Imagem

Imagem

Também por conta da muita informação no vestido, optei por um véu simples, mas de 4m de comprimento!!

Imagem

Imagem

Imagem

Após o meu casamento, Oscar de La Renta em sua coleção apresentada na New York Bridal Week 2011 mostrou vestidos parecidíssimos com o meu, inspirado na sinuosidade das sereias, mas cheio de babados! Além do meu vestido ficar a minha cara, estava na moda da coleção noivas 2011 repleta de glamour, sofisticação e bem feminina! Amei!!

ImagemImagem

Imagem

Para quem quer conhecer mais o trabalho do estilista Audifax Seabra, o site é  http://www.audifax.com O meu vestido está em Noivas / Texturas! 🙂

Imagem

Abaixo, a minha equipe nota 10!!

Fotos: Chico Brandão

Vestido: Audifax Seabra

Maquiagem: Abraão Dowsley

Cabelos: Jane Moura

 

Saudade….! 🙂 S2

Anúncios

INSPIRAÇÃO DO DIA – Angelina Jolie

Nada mais, nada menos que a maravilhosa Angelina Jolie como inspiração do dia!!

O clássico “A Bela Adormecida” sempre foi o meu desenho favorito das princesas disney! Portanto, a ansiedade para assistir Malévola (Maleficenté enorme!!! Finalmente aconteceu ontem em Los Angeles a première mundial do tão aguardado filme, e, claro, sua protagonista – que neste remake não é a princesa Aurora, e sim a Malévola – era a mais esperada! Fez muito bem com o modelito escolhido para este grande momento!

Imagem

ImagemImagemImagem

Vestido: Versace

Brincos e pulseiras: Stella McCartney

Maridão: Brad Pitt

 

M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A!!!

03 ANOS DE CASADOS! BODAS DE COURO OU DE TRIGO

Hoje eu e meu marido comemoramos 03 anos de casados. A simbologia para este ano é com o Trigo e o Couro. Pesquisando os significados, vi que o TRIGO representa fé, fartura, prosperidade e união e o COURO é a pele curtida de animais e também representa fartura.

Poucas pessoas conhecem a origem etimológica da palavra boda. Ela provém da palavra latina votum, que significa promessa. Desta forma, quando se diz “minha boda” estamos dizendo “minha promessa”! 🙂

Enfim, com seus significados ou não, só sei que o ato de se casar com toda a pompa e circunstância era algo que nunca me havia passado pela cabeça. Mas ao decidirmos nos unir, resolvemos fazer a comemoração e não me arrependo! Até mesmo a fase da “noiva neurótica”, ao achar que não daria tempo para fazer as coisas, as provas do vestido, idealizar a decoração, as músicas da entrada… Lembranças lindas que ficarão eternamente guardadas em nossas memórias, fotos e vídeos!

Muitas coisas se passaram nestes 03 anos. Momentos de muitas alegrias e também de enormes tristezas, com perdas significativas… Mas sempre estivemos juntos enfrentando as adversidades da vida e toda esta experiência tornou a nossa relação ainda mais consolidada, porque o AMOR esteve sempre presente!! Sou muito feliz por ter escolhido o parceiro da minha vida que, além de extremamente atencioso é meu amigo, namorado, amante e companheiro!

A música do vídeo foi escolhida porque o meu marido na época dizia que essa música representava muito o momento que ele me conheceu. :~) De surpresa, escolhi esta música para quando ele entrasse na igreja!

 

TODO AZUL DO MAR

Flávio Venturini

Foi assim, como ver o mar
A primeira vez que meus olhos se viram no seu olhar
Não tive a intenção de me apaixonar
Mera distração e já era momento de se gostar

Quando eu dei por mim nem tentei fugir
Do visgo que me prendeu dentro do seu olhar
Quando eu mergulhei no azul do mar
Sabia que era amor e vinha pra ficar

Daria pra pintar todo azul do céu
Dava pra encher o universo da vida que eu quis pra mim

Tudo que eu fiz foi me confessar
Escravo do seu amor, livre pra amar
Quando eu mergulhei fundo nesse olhar
Fui dono do mar azul, de todo azul do mar

Foi assim, como ver o mar
Foi a primeira vez que eu vi o mar
Onda azul, todo azul do mar
Daria pra beber todo azul do mar
Foi quando mergulhei no azul do mar

Fica aqui a minha homenagem ao meu querido amigo, companheiro e marido lindo, que me ensinou e ensina até hoje a ser uma pessoa cada vez melhor! Amo você, Branquinho!

A Cosmopolita Londres em 2 dias e ½- 2º e ½ dia :P

2º DIA

O segundo dia em Londres reservamos para os museus e bares. INFELIZMENTE MESMO o tempo esfriou muuuuuuuuuuuuuuuuito e gastamos muito tempo no primeiro museu. Não me conformo de não ter tido tempo para visitar o Museu Britânico, mas os passeios são muito longos e Londres tem o mundo lá dentro. Portanto, para ir à Londres de “visita”, considero 05 dias apropriados.

Logo cedo fomos ao Museu Madame Tussauds, que ficava relativamente perto do nosso hotel. Bem bacana, mas sinceramente??? Mil vezes ter ido ao Museu Britânico. O museu de cera vale muito a pena pra quem está com crianças e adolescentes. A gente até se diverte lá dentro, mas achei muito caro e pouco interessante. O ingresso custou 30 Libras (!!!!) e o Museu Britânico é de graça!!! Enfim…

O Museu de Cera Madame Tussauds é mundialmente conhecido e tem franquias espalhadas em 12 países. Como não visitamos o Museu em Paris, decidimos visita-lo em Londres, pois foi lá que tudo começou.

Alguns registros de lá:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

 Amoooo o ET!!! S2

Imagem

Com a Audrey Hepburn, a eterna bonequinha de luxo!Imagem

 Beatles 4ever!!!

Imagem

Eu e o Rei do Futebol – Pelé!

 Além da exposição principal, com personalidades enceradas, o museu oferece ainda duas opções de entretenimento, já incluídas no pacote: um cinema 4D com heróis da Marvel e um passeio de terror com atores, no estilo da London Dungeon e London Bridge Experience.

Imagem

 “Môre” Wolverine

Imagem

 “Môre” de Ferro! kkkkk…

Imagem

Ambas as atrações paralelas são bem bacanas e rendem boas risadas. Crianças pequenas, porém, podem sentir muito medo na hora de encarar as agruras do Scream, o túnel de horrores do museu. Preste atenção ao aviso na entrada: se você não encostar nos atores, eles não vão encostar em você. Confesso que tive muito medo!! Kkkkkkk.. Me coloquem numa montanha-russa, mas não me soltem numa casa de terror! Pra completar, no final da caminhada lá dentro, um “monstro” soprou no meu ouvido! Tenso! Kkkkkkk…

Pertinho de lá tem o Museu Sherlock Holmes, bem interessante!! Dentro da casa você percebe o trabalho bem feito de simulação da casa e escritório do detetive. O lugar, construído em 1815, apresenta as mesmas características da residência de Holmes, inclusive com a vista para a Baker Street a partir do estúdio. Infelizmente não pode tirar foto lá dentro.

Imagem

Imagem

 Olha a cara de frio!! Kkkk...

Perto de lá estava a Abbey Road e daí veio a minha segunda dor de cotovelo!!! Não conseguimos chegar lá!!  Perguntamos a alguns ingleses que não souberam explicar direito (só pode ter sido má-vontade, só pode!!) e como estava insuportavelmente gelado, não tivemos condições de caminhar! Parece que todos os ventos do mundo se encontram em Londres! Brrr! O que me restou de lembrança dos Beatles foi só a foto no museu de cera! 😦

No meio da tarde voltamos para Notting Hill e fomos tomar um café na Jamie Oliver Recipease. Muito bacana!!! Lá a gente pode se inscrever para aprender a cozinhar e fazer ótimas comidas! Para quem não sabem quem é Jamie Oliver, ele é um chefe de cozinha e personalidade da TV no Reino Unido que ficou conhecido pelo uso de alimentos naturais e orgânicos.

Imagem

Imagem

Nossa… Amei Notting Hill! Da próxima vez que voltar certamente será a região que desejo ficar!

Decidimos esticar e visitar os famosos PUBS Ingleses!!! O 1º que fomos foi o The Churchill Arms que infelizmente estava lotado! Mas dá pra sentir a atmosfera do local pelas fotos abaixo.

Imagem

Imagem

Paramos no The Old Swan que fica na mesma Rua do The Churchill Arms. Não se compara ao anterior, mas bem bacaninha.

Imagem

Mas o melhor mesmo foi o encerramento da noite no 3º que fomos, The Uxbridge Arms. Pub tradicionalíssimo que foi aberto em 1830 e ativo até hoje! AMEI! Valeu e muito a pena!! Lá nem comida servem, só bebidas!

Imagem

Imagem

Olha só o que encontramos por lá!!!

Imagem

Cheers!!!

3º DIA

Reservamos o “pedaço do último dia” para visitar a casa da Rainha. O tempo melhorou bastante!! Pena que não deu para ver a troca da guarda, pois seria às 11h da manhã e nosso vôo para Roma sairia às 14h. O aeroporto de Gatwick fica longe do centro de Londres. Além do metrô para chegarmos a Victoria Station, lá temos que pegar um trem para o Aeroporto. É a melhor saída para evitar o trânsito!

Para chegar ao Palácio de Buckingham  descemos na estação Green Park e passeamos pelo parque. Lindo!

Imagem

 A foto com a cabine telefônica não poderia faltar!

Imagem

Imagem

Imagem

 Portão Real em frente ao Green Park

Em frente a Casa Real

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

 Detalhes…

Imagem

Guarda Real ao fundo!

 

Ahhh.. Londres… Inesquecível Londres…  Mesmo em tão pouco tempo, sem Abbey Road, sem Museu Britânico… Inesquecível! 🙂

 

Fonte: http://mapadelondres.org/

A Baleia Assassina e o Efeito do Distanciamento

Imagem

Estava eu mexendo em alguns papéis e me deparo com um artigo do amigo de meus pais, José Pedro. Este artigo remete uma história vivenciada por nós quando eu ainda era criança (05 anos), e acabou sendo tese de discussão em sala de aula sobre o “Efeito do Distanciamento”.

A BALEIA ASSASSINA E O EFEITO DO DISTANCIAMENTO

 

“Orca: a baleia assassina” era o filme programado para a Sessão Coruja daquele domingo. “Hora de menininha bonitinha estar na cama, não é mesmo Dona Elenira?” 

Era Goretti, a mãe, a dizer que “amanhã cedo, na hora de levantar, minh alma era triste”. 
Mas quem diz de Dona Elenira querer sair do sofá?!Não houve jeito. Ia ver o filme comigo, que ali me achava de visita. Não tem truque melhor do que esse. A mãe não ia poder, não ia saber dizer que não. 

E o filme correndo, e a chatice de sempre comendo solta. Conversa não vai, conversa não vem, aquela mesma histeria amplificada a um grau de insuportabilidade exasperante pela voz idem dos dubladores, os de sempre. 

Deitada no sofá, Elenira permanecia de costas para o aparelho. Parecia estar dormindo até. Mas eis que de repente desvirava, e se ligava no filme. Uma, duas, três, quatro vezes. E aquilo me intrigando. Até que resolvi perguntar: “Mas por que você não assiste o filme inteiro?” Respondeu que só queria olhar quando tivesse perigo. “Mas como você faz para saber quando tem perigo?” E ela, com profundo conhecimento de causa, espantoso para uma menininha de cinco anos: 
“É fácil. Eles põem uma musiquinha.” 

Fiquei pensando comigo se ainda teria alguma validade, afinal, aquela coisa do “efeito de distanciamento”. Conjeturei que as menininhas de hoje em dia talvez já nasçam com essas noções implícitas no aprendizado que fazem do mundo. Ou embutidas no código genético, sei lá… 

Quando dei por mim, ou melhor, no momento em que acordei, Elenira estava ligada no final do filme. Aquela musicona num crescendo impossível. Foi o que me fez despertar. E o comentário dela veio certeiro: “Aprendeu, hein Tio?”

Este filme me impressionou bastante. Não sei como a minha mãe deixou eu assistir! Rsrsrsrs…  Mas interessante mesmo a visão do “tio” Zé Pedro acerca daquele momento. A percepção das crianças é muito aguçada e por isso devemos ter cuidado com o que mostramos e falamos à elas. 

Se você tem mais de 30, vai lembrar do filme! Vale a indicação no youtube:

Trailler: http://www.youtube.com/watch?v=OJK7OiXYmnw

“Grand Finale” 😛 : http://www.youtube.com/watch?v=5q27jdZj5TQ

O Dr. José Pedro Antunes possui graduação em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1972), mestrado em Teoria Literária pela Universidade Estadual de Campinas (1989) e doutorado em Teoria Literária pela Universidade Estadual de Campinas (2001). Atualmente é professor assistente doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Temas de interesse: tradução literária, teoria literária, vanguardas históricas, literatura alemã do século XX, teatro, cinema, poesia, língua alemã, entre outros. (Fonte: Currículo Lattes).

A Cosmopolita Londres em 2 dias e ½ – 1º dia.

Desde adolescente tinha como sonho conhecer Londres! Por pouco não fui morar lá quando terminei o colégio, mas como logo em seguida ingressei na Universidade Federal no curso de Direito acabei adiando, pelo menos, a visita.

Quando decidimos viajar a França eu tinha que pelo menos dar uma passada na capital Britânica. Não sei se foi bom ou ruim, por que 02 dias se tornaram mínimooooos e a vontade de retornar aumentou ainda mais que a vontade de conhecer! Kkkkkkkk…

Elenquei vários passeios para fazermos por lá e, INFELIZMENTE, aqueles que achava imprescindíveis acabaram não acontecendo! L A cidade, além de ser enoooorme, estava muito fria por conta do inverno. No segundo dia mal conseguimos andar por ela! Mas deu para fazer muita coisa! Vou elencar aqui nossos passeios pelos dias que estivemos. No 3º dia pegamos um vôo direto pra Roma.

Neste post,  falarei somente do 1º dia, pois foi o mais intenso. O tempo colaborou com os passeios. O restante falarei em post próximo.

1º DIA

Decidimos ir de Eurostar (trem bala) de Paris para Londres. Apesar da capital inglesa não requerer visto, senti a imigração mais atenta para entrar no país.

O trem passa pelo canal da mancha, mas quem acha que vai sentir que está passando por dentro do mar acaba se frustrando. Seria tão bom que os túneis submersos fossem transparentes… Rsrsrsrsrs…

Chegamos num sábado, no dia que acontece a tradicional Portobello Road Market! Assim que fizemos o check-in no hotel (Ibis, em Euston St Pancras – vale e muito a pena!!! Confortabilíssimo e ao lado da estação de metrô de mesmo nome), nos direcionamos para Notting Hill, onde acontece a feira.

Fiquei E-N-C-A-N-T-A-D-A! A Portobello Road é uma rua no bairro de Notting Hill e aos sábados recebe a Portobello Road Market, um dos mercados de rua mais conhecidos e frequentados de Londres. É famoso pelas roupas em segunda mão e antiguidades, além dos artistas de rua que lá se encontram!

ImagemImagemImagemImagemImagem

Lotada!!!

Imagem

Passeando mais pelo bairro, pudemos conhecer a livraria que foi gravada o filme “Um Lugar Chamado Notting Hill”. A procurara para registrar o local é tamanha que o dono da livraria acabou colocando um banco para não prejudicar a fachada da sua loja!

ImagemImagem

O interior da livraria!

Após o passeio fomos fazer o City Tour pela cidade. Imprescindível fazer estes passeios, pois além de um “apanhado geral” das atrações turísticas da cidade, faz com que a gente possa se localizar, além da possibilidade de ir parando nos locais que acharmos mais interessantes. O que escolhemos tinha áudio em Português

Imagem

O passeio também rende belíssimas fotos, como esta abaixo!

Imagem

O ingresso para usar o City Bus também nos dava direito ao passeio pelo Rio Tâmisa. Até chegar a área de embarque a gente passa pelo local onde a Ana Bolena foi julgada e decapitada.

Imagem

Também próxima área de embarque, pudemos contemplar a linda vista do Rio Tâmisa com a Tower Bridge ao fundo.

Imagem

Já dentro do barco, encontramos um local aquecido!

Imagem

Nós e o nosso amigo Álvaro, que mora em Paris.

Uma amiga minha que morou lá por 10 meses tinha dito que nunca havia passado tanto frio na vida e neste passeio pelo Rio Tâmisa pude comprovar e atestar este sentimento! Nossa!! Parece que todos os ventos do mundo se encontram em Londres! Para encarar o frio em cima do barco (queria ver o passeio, lógico!!) nada que uma boas doses de whisky não nos esquentasse! Kkkkkkk… Assim conseguimos encarar os ventos congelantes e desfrutar do passeio!

Imagem

Imagem

 London Eye

O desembarque é bem próximo do Parlamento Inglês.

Imagem

Big Ben

ImagemParlamento Inglês

Muuuito me identifiquei com Londres!!! Cidade que preserva sua rica história e traz consigo a modernidade. Super cosmopolita e não é a toa que é considerada o CENTRO DO MUNDO! Tudo acontece primeiro em Londres. As pessoas são o que elas são ou o que sempre desejavam ser, sem a preocupação de ficarem presas a estereótipos!

Kisses!

Lila.