Filhos e Viagens

Recentemente li um artigo falando sobre a importância de viajar com seus filhos quando ainda são bebês! Achei interessante:

COMECE A VIAJAR COM SEUS FILHOS ENQUANTO ELES AINDA SÃO BEBÊS

Viajar com um bebê pode ser uma ótima experiência para quem quer que o filho, um dia, vire um companheiro de viagem.

Por Patricia Papp e Fernanda Avila
@Eu Viajo Com Meus Filhos

termos-bebezisticos-em-inges-1373044529796_615x300

Quando um casal tem o primeiro filho tudo é novidade. O primeiro banho, o primeiro espirro, a primeira saída de casa são cercados de atenção e curiosidade.

Mesmos os pais mais desencanados ficam mais receosos. A simples ideia de viajar com um bebê pequeno apavora a grande maioria dos pais.

Mas viajar com um bebê pequeno é mais fácil do que com crianças maiores. Principalmente se ele ainda mama no peito. Isso poupa preocupações com as refeições, papinhas, pratinhos, colheres, leite em pó e outros acessórios!

Se o bebê ainda não caminhar, nem engatinhar, a viagem fica ainda mais prática: basta um sling, um canguru ou um carrinho para que os pais possam passear tranquilos por onde quiserem, mesmo que seja por Paris ou Nova York.

Os pais podem passar a tarde visitando um museu ou caminhando pela cidade. A criança só precisa estar limpa e alimentada. Quem decide o roteiro e o ritmo da viagem são os adultos.

Os custos também são bem menores. A grande maioria dos hotéis não cobra a estadia de bebês.

As passagens aéreas para menores de 2 anos (viajando no colo) geralmente também são gratuitas, ou são bem reduzidas. Nas refeições, as contas só mudam quando a criança passa a pedir um prato para ela.

Eu acredito que as crianças que caem na estrada quando são pequenas, seja de carro, ônibus ou avião, aprendem a viajar desde cedo.

Começam a perceber que o mundo é maior que sua casa, conhecem alimentos e sabores diferentes. Ficam mais habituados aos vôos e à espera.

Essa experiência, quando começa cedo, torna as crianças ótimas companheiras de viagem no futuro.

E para quem me pergunta: “Mas eles vão lembrar?”, meu marido sempre responde: “Eles podem não lembrar, mas eu lembro”.

03-viagens

Fonte: http://disneybabble.uol.com.br/br/viagem/comece-viajar-com-seus-filhos-enquanto-eles-ainda-sao-bebes/?ex_cmp=SP_viajarbebe_FBK

Já imagino as nossas viagens em família, seja pra perto ou pra longe! 🙂

Anúncios

Meu 1º Dia das Mães

Hoje vivo o meu 1º Dia das Mães e muito refleti como foi este último ano antes e depois da sua chegada…

Ser mãe é…

Ter um sonho
Receber um teste de gravidez positivo
Sentir uma alegria imensa
Consultar o obstetra
Ter enjôos, enxaqueca, indisposição
Fazer exames e mais exames
Perder o bebê… Ficar muito triste…
Mas não desistir
Receber outro teste positivo em 2 meses
Ir ao obstetra
Saber que engravidou no dia do seu aniversário de casamento
Ter um sangramento
Ficar muito preocupada
Saber que tudo está bem
Não sentir enjôos, azias
Sentir-se disposta
Ver o corpo mudar a cada dia
A barriga crescer
Amar estar grávida
Sentir o que nenhum homem jamais sentiu: outra vida dentro de si!
A alegria de ouvir as batidas do coração
Descobrir que seu bebê é o tão aguardado menininho
Escolher com o papai o nome do nosso filhinho
Sentir os chutes (e que chutes!) do bebê
Curtir fazer o enxoval e a ‘babymoon’
Idealizar e montar o quartinho
Passar a gestação inteira querendo parto normal e na reta final decidir pela cesárea
Parir
Sentir uma emoção indescritível
Um amor sem tamanho
Dar à luz nova vida
Já sentir orgulho do seu filho tirar Apgar 10
Se acostumar com as noites de dormidas fracionadas
Aproveitar pra dormir quando seu filhinho está dormindo
Amamentar
Sofrer no início com a amamentação, mas não desistir
Sentir prazer em amamentar
Namorar o bebê
Trocar muitas fraldas
Namorar o bebê
Limpar o umbigo, o nariz, o bumbum e a alma
Ter medo em dar banho pela primeira vez
Consultar o pediatra
Chorar com as primeiras injeções
Ver o incrível desenvolvimento do seu filhote
Ligar várias vezes para o pediatra quando ocorre alguma dúvida
Entrar em êxtase ao ver seu primeiro sorriso, sua primeira gargalhada
Ficar ansiosa para o dia que ele falará ‘mamãe’ pela primeira vez e que dará seus primeiros passinhos
Namorar o bebê
Saber que as preocupações serão para sempre
Não imaginar mais a sua vida sem seu bem mais precioso!
Ser mãe é ser eterna…
(Adaptação do texto do Dr. Ruy Pupo Filho, pediatra e neonatologista)
Parto Henrique (284)
Te amo, Henrique!! ❤️ Você trouxe mais razões e emoções para a minha vida!!

Lembrancinhas e Quadro Maternidade

Incrível! Quando me casei me assustei com a quantidade de “supérfluos necessários” que existiam para fazer a festa de casamento! Na empolgação a gente vai querendo colocar tudo, mas tem que chamar a razão para não ir tanto na onda e estourar demais o orçamento.

Com a maternidade não foi diferente. A começar pelo enxoval. Hoje temos tanto acesso a informações, principalmente por meio das redes sociais que nós, mães de primeira viagem, achamos que tudo o que vemos tem que fazer parte da nossa listinha de compras. E são várias as opções, é de enlouquecer!

É a roupinha tal, o carrinho da marca tal… Tem coisas que nossas mães nunca usaram e parecem ser imprescindíveis para os nossos filhos! A “indústria da maternidade” está com tudo, e digo mais: tem bem mais oferta que a de casamento!!

Então… Hoje, por exemplo, faz-se necessário pelas normas de etiqueta você fazer lembrancinhas para a maternidade. Acho lindo! Mas na reta final é mais um gasto! Queria fazer algo que não ficasse “encostado”, isso é, queria fazer algo que fosse de certa forma útil para quem recebesse, sem gastar muito!

Vai uma dica: quantas mais opções você fizer, mais as lembrancinhas “voam”! As visitas vão querer pegar uma de cada! Eu mesma faço parte desta lista! Kkkkkk… Amooo lembrancinhas! Depois de tantas opções, decidi fazer somente duas: álcool em gel e bloquinhos para anotações. Inicialmente queria fazer difusor de ambiente (acho o máximo), mas achei que o valor, naquele momento, não compensaria.

A irmã da minha concunhada trabalha com feltro e achei bacana a ideia de fazer as lembrancinhas com ela. Gostei bastante do resultado e aproveitei para fazer também o livro de anotações para os visitantes escreverem para o Henrique!

Parto Henrique (248) Parto Henrique (251) Parto Henrique (249) Parto Henrique (261)

O quadro maternidade não queria fazer em feltro. Então achei no Instagram um perfil que fazia sob encomenda quadro com led. Era o que queria! Interessante é que no processo de montagem a loja te pergunta qual o estilo que você quer: das as opções de urso, de tecido, de cores… Achei muito bacana e amei o resultado também! Kênia, a dona do perfil, sempre foi muito atenciosa!

Parto Henrique (264) Parto Henrique (268)Optei pelas cores do quartinho dele e amei a composição!

Ah! E tem ainda mais! Também deve servir lanchinhos no quarto para as visitas. O parto virou festa! kkkkk… Nunca achei bacana a ideia de colocar comida no quarto de hospital, mas para não deixar em branco encomendei uns paezinhos de tomate seco e docinhos baba de moça, além de servir champagne e whisky (oi?).

Parto Henrique (254)

Média de gasto:

Lembrancinhas – 250 unidades: R$ 600,00 – Jubeleta Ateliê [WhatsApp (82) 9960-8103 / IG @jubeletatelie]

Quadro Maternidade: R$ 225,00 (com frete incluso) – Sonhos de Casa [WhatsApp (65) 9234-9674 / IG @sonhosdecasa]

Lanchinho: R$ 250,00 – Tantã Lanchonete [Telefone (82) 3231-8816 / IG @tantalanchonete]

Já penso em como será a festa de 1 ano, caso resolva fazer! Kkkkkk…

Beijinhos!

24 Truques de Organização

Estava eu “facebookiando” quando me deparei com este artigo sobre dicas de organização! Vale a pena compartilhar! Algumas são bem interessantes!

1. Use porta-talheres para organizar maquiagem e bijuterias.

1

2. Peças de Lego podem formar um belo porta-utensílios.

2

3. Tubos de PVC de diferentes larguras fixados dentro da porta do gabinete do banheiro acomodam seus apetrechos e resolvem o problema dos fios.

3

4. E se você tem muitos chinelos, acomodá-los em uma cesta poupa espaço.

4

5. Ganchos para pendurar xícaras e apoios para pratos multiplicam o espaço do armário de cozinha.

5

6. Extensões com réguas e aquela montoeira de fios podem ser ordenados (e ocultados) por uma caixa de sapatos encapada e furada nos lugares certos.

6

7. Garrafas PET cortadas são perfeitas para organizar as sapatilhas.

7

8. Mais um jeito de guardar sapatilhas: cabides e pregadores criam uma sapateira suspensa.

8

9. Dá para guardar sapatos em gavetas. É só limpá-los e acomodá-los em toucas descartáveis.

9

10. Um pallet + rodízios criam uma sapateira fácil de ser acessada bem debaixo da sua cama.

10

11. Aquelas sapateiras de feiras baratíssimas podem organizar a lavanderia ou o banheiro.

1112

12. Variações da sapateira tradicional também podem organizar o quarto das crianças.

13

13. Ou seus cintos e cachecóis.

14

14. Use ganchos de cortina de box para pendurar as bolsas no armário.

15

15. Latas encapadas e fixadas à parede mantêm canetas, lápis e acessórios separados e à mão.

16

16. Mais um uso para latas velhas — e mais uma forma de arrumar os objetos em cozinhas com pouco espaço de bancada.

17

17. Um cabide e algumas argolas de cortina de box criam a forma perfeita de não só organizar seus lenços, mas também de mantê-los sempre à vista.

18

18. Ganchos + cachepôs de baldinhos perto do espelho criam uma organização vertical de maquiagem e acessórios de beleza.

19

19. Também dá para criar espaço vertical de organização usando um painel perfurado, como aqueles expositores de lojas, com ganchos e baldinhos.

20

20. Ganchinhos pendurados servem para armazenar e deixar seus cintos visíveis e à mão.

21

21. Os canos das botas ficam alinhados se você usar cabides de calças para pendurá-las.

22

22. Determine uma rotina de organização e limpeza a partir de quanto tempo por dia você pode dispor para isso: 15 minutos…

23

23. Meia hora…

24

24. Ou uma hora.

25

Fonte: http://www.aguanaboca.org/receita/24-truques-de-organizacao-que-vao-mudar-sua-vida-pra-melhor/

Educação: Crianças Terceirizadas

Ao engravidar já havia decidido que quando o Henrique nascesse não queria ter babá.  Não sou profissional liberal, portanto tenho direito a licença-maternidade, e acertei com um dos meus chefes que tiraria férias logo depois da licença, daí poderia ao menos ficar 5 meses com ele.

Este início não foi fácil. Não fui criada cercada de crianças, pois minha família é pequena e tudo foi muito novo para mim.

Henrique nasceu em um sábado de carnaval, e por conta do feriadão em sua primeira semana de vida pude contar com a ajuda da minha mãe e da minha irmã, que foram fundamentais! A primeira semana é muito cansativa, nos sentimos exaustas e até tristes em alguns momentos, com pensamentos do tipo “será que vou dar conta?“.

Meu marido tentava me convencer a ter uma babá, pois via as nossas dificuldades no aprendizado deste novo mundo que entramos e, após duas semanas de vida do Henrique, contratamos uma babá enfermeira, especialista em recém-nascidos, que ficaria somente um mês conosco.

Foi muito difícil me convencer, mas confesso que nesse mês aprendi bastante ao lado de uma pessoa que já cuidava de outros bebês da mesma forma (ela só fica realmente um mês e não dorme!!) e me fez sentir mais segura para cuidar do meu filhote.

Mesmo estando aqui, não deixava somente para ela ter os cuidados do Henrique. Acho importante, justamente por temer a tal “terceirização”.

Enfatizo que não condeno quem tenha babá, até porque quando eu voltar a trabalhar a necessidade pode me impor a contratar alguma, já que trabalho também no período noturno. Porém, acho que os pais podem ser mais presentes mesmo que seus filhos fiquem com babás, avós, tios etc.

Quando planejado, filho vem de um projeto de constituição de família num casamento. É imprescindível que os pais sejam presentes na sua formação. Apesar de me convencer a contratar uma babá por este breve período, meu marido sempre foi muito presente: troca fralda, brinca, embala para dormir… Só não amamenta (por que não pode! rsrsrs) e dá banho (por que tem medo! :P).

Achei este vídeo muito pertinente aos dias atuais, onde muitas querem ser mães, mas não enfrentam a realidade de cria-los adequadamente, principalmente no primeiro ano de vida, onde os vínculos são construídos.

Vale a pena assistir!

Ensaio Gestante

Henrique já nasceu e fiquei devendo uma postagem do Ensaio Gestante que fiz quando estava com 36 semanas! O ensaio foi fotografado pela minha amirmã (amiga + irmã) competentíssima Milena Mota e as fotos ficaram lindaaaas!!! Meu parto também foi fotografado por ela!

Abaixo, seguem algumas fotos do ensaio que fizemos. Difícil foi escolher somente algumas para colocar aqui!! Desculpem a “overdose”! Rsrsrs…

Liloca_Henrique (1) Liloca_Henrique (7) Liloca_Henrique (13) Liloca_Henrique (30) Liloca_Henrique (41) Liloca_Henrique (53) Liloca_Henrique (55) Liloca_Henrique (69) Liloca_Henrique (80) Liloca_Henrique (89) Liloca_Henrique (91) Liloca_Henrique (95) Liloca_Henrique (96) Liloca_Henrique (98) Liloca_Henrique (104) Liloca_Henrique (115) Liloca_Henrique (116) Liloca_Henrique (124) Liloca_Henrique (125) Liloca_Henrique (135)

 

Conheçam mais o trabalho dela em https://milenamotafotografiaconceito.wordpress.com

Beijos!!

:*

Maternidade

Ausente por conta do novo status: sendo mãe!

Há pouco mais de um mês (exatamente no dia 14 de fevereiro) nasceu a nossa vidinha. Apesar da felicidade, o 1º mês é difícil, pois todos nós estamos nos conhecendo. A nova rotina (leia-se: noites em claro! Kkkk…) não é nada fácil! O cansaço, as dores no seio até nos adaptarmos, entender cada chorinho do seu bebê… Tudo é um aprendizado constante.

Depois que a gente vai se acostumando, vem as recompensas! O cheirinho gostoso, o colinho aconchegante, o primeiro sorrisinho…

Obrigada, Henrique, por nos mostrar um novo significado para a palavra AMOR!

IMG_3093-0
Foto: Milena Mota Fotografia Conceito